Orçamento base zero: O que é?

Orçamento base zero: O que é?

Sendo o tipo de orçamento que eu prefiro, pelo facto de ser o único que permite orçamentar com base num sonho, que no ponto de vista holístico deveria ser a base para qualquer negócio!

No entanto, um orçamento para ser útil e bem-sucedido para a empresa, é essencial que responda a questões como:

·        Quais os investimentos que necessita para o sonho ser concretizado?

·        A empresa tem capital para o investimento?

·        Esses, possíveis investimentos vão ter retorno?

·        É necessário investir em recursos humanos e assim aumentar o quadro de pessoal?

·        Nos vários cenários possíveis, otimista e pessimista o fluxo de caixa vai ser positivo?

·        Os resultados projetados vão ser satisfatórios?

Qualquer que seja o tipo de orçamento escolhido pela empresa e os seus gestores financeiros, todas as questões anteriores têm que ter uma resposta, nesse mesmo documento.

Já exploramos, em artigos anteriores o conceito de orçamento empresarial, tipos de orçamentos, entre outros. Hoje vamos colocar o nosso foco, num tipo de orçamento específico: orçamento base zero.  Já ouviu falar neste método?

Orçamento base zero: Conceito

Este é um tipo de orçamento empresarial, sobejamente conhecido entre os gestores, por ser um tipo de orçamento e planeamento que faz uma análise das despesas a partir de uma base zero, assim reduz os custos e despesas, consideradas desnecessárias ou supérfluas.

Esta metodologia obriga a uma avaliação ao detalhe dos gastos, partindo de uma base zero (não necessariamente desconhecida). Esta é a grande diferença entre o OBZ e um orçamento tradicional, pois este apenas faz uma replicação dos valores de um dado exercício para o seguinte, partindo do pressuposto que no exercício anterior não havia lugar a despesas desnecessárias e ou supérfluas.

Então o que pode um orçamento base zero (OBZ), fazer por uma empresa?

Este tipo de planeamento permite uma melhoria dos resultados e performance da empresa, e como? Através de uma redução dos custos, gastos e despesas, consideradas desnecessárias e permite ainda um envolvimento de todos os gestores de departamento na elaboração e todo o processo do orçamento.

 OBZ- Inversão da lógica

Esta metodologia nasce e é aplicada, pela primeira vez, nos Estados Unidos da América, na década de 70 e gerou resultados bastante positivos em várias empresas, onde foi implementada vindo revolucionar o que se fazia tradicionalmente.

OBZ veio, efetivamente, inverter a lógica das coisas e os gestores passaram a ver este método como muito eficaz e inclusivo, pois obrigava a incluir todos os gestores de departamentos, para se conseguir chegar a valores mais reais e de acordo com os conhecimentos de cada um no seu setor. Este método obriga a orçamentar pela capacidade e necessidade e não pelo efeito histórico ou de hábito.

Então, porque é que este método não é mais utilizado?

Este método sendo revolucionário no seu âmbito, tem na sua aplicação grandes entraves relacionados com a complexidade e tempo que é necessário para este ser executado.

Mais uma vez, não há métodos perfeitos e adequados a todas as empresas, e a sua utilização deve ser equacionada em conjunto com outros métodos dependendo do momento que a empresa atravessa. Recomendo vivamente a utilização deste método para o planeamento de projetos e investimentos uma vez que a utilização de elementos históricos para este caso não faz muito sentido.

O que acha deste método? Já utilizou?

Jorge GALVÃO
Diretor geral de operações AVEIRO
jorge.galvao@viseeon.pt