A importância de um Orçamento Empresarial - Jorge Galvão - Viseeon POrtugal

A importância de um Orçamento Empresarial

Antes de passarmos à análise da importância de um orçamento empresarial é necessário compreender: afinal o que é isso de orçamento empresarial?

Um orçamento é nada mais nada menos que uma ferramenta de gestão, que tem como objetivo o controlo e ainda a medição da saúde financeira de uma empresa. Este processo permite o entendimento do ponto de situação financeiro atual e futuro de uma empresa.

Num orçamento empresarial podemos encontrar informações como: as despesas e receitas de um determinado período considerando que um orçamento pode ser elaborado ao ano, semestre, trimestre ou ainda ao mês. Esta é uma ferramenta considerada essencial para o sucesso, estabilidade e saúde financeira de qualquer negócio. Este documento tem como foco a redução de despesas e ainda a maximização de lucros, apostando numa boa performance financeira e direcionada para os resultados.

E para que serve um orçamento empresarial?

Um orçamento empresarial é, também, uma importante ajuda para que a empresa consiga definir novas metas e ainda definam uma tomada de decisões mais corretas, com base em dados reais.

Resta-nos a questão, será que todos os empresários/gestores recorrem a esta ferramenta/documento? A realidade é: não! Pois muitos desses empresários/gestores não sabem para que serve um orçamento empresarial e mais ainda desconhecem, qual o objetivo desta prática.

Então este artigo é, essencialmente para estes empresários/gestores que “negam” e/ou desconhecem as vantagens de um planeamento com base num orçamento.

Então, qual a Importância de um orçamento?

Depois de entendido o conceito de orçamento empresarial passamos à análise da sua importância para uma empresa. Sendo esta uma ferramenta considerada essencial para o sucesso, estabilidade e saúde financeira de qualquer negócio. Este documento tem como foco a redução de despesas e ainda a maximização de lucros.

Em suma, um orçamento é nada mais, nada menos que o fio condutor de uma empresa, uma vez que é através deste documento deverão ser tomadas todas as decisões e planeados todos os projetos futuros.

É importante referir que não há apenas um tipo de orçamento, este pode ser de diferentes tipos:

·        Orçamento incremental ou orçamento de base histórica;

·        Orçamento participativo, colaborativo ou descentralizado;

·        Orçamento estático;

·        Orçamento flexível ou variável;

·        Orçamento contínuo;

·        Orçamento ajustado ou forecast;

·        Orçamento matricial;

·        Orçamento de base zero – OBZ;

De uma forma breve, analisemos as vantagens e desvantagens pelos 3 que considero mais relevantes:

·       

 Orçamento de base histórica – considerado um tipo de orçamento mais conservador, leva em conta o histórico anterior da empresa. Aqui é feita uma análise de todas as contas, despesas, receitas do exercício anterior e analisada a potencial evolução. Este tipo de orçamento tem a vantagem de ser de rápida implementação, sendo a sua desvantagem é que podem não ser ouvidos os gestores dos diferentes departamentos e haver lugar a gastos desnecessários – pois não tem como base o conhecimento de cada gestor do exercício anterior;

·      

  Orçamento matricial - é um tipo de orçamento de elaboração rápida, fácil e muito utilizado pelos gestores financeiros. Pois, este tipo de orçamento cruza informações, ao invés de centralizar os custos. Aqui é feita uma matriz onde cruza a natureza do custo, com os centros de responsabilidade / rentabilidade;

·        

Orçamento base zero – o processo que nos permite iniciar com o sonho, onde a empresa deverá definir quais os objetivos que pretendem alcançar, e caberá a cada departamento da empresa, tem a função de discriminar todos os gastos necessários e para além disso tem a responsabilidade de criar o seu orçamento empresarial individual a partir do zero. Uma das vantagens deste método é que os gestores estão, na sua área e desta forma vão fazer uma análise mais assertiva sobre as necessidades reais, para a sua capacidade.

Todo e qualquer orçamento para alcançar o sucesso deve seguir várias etapas. essas etapas devem ser:

1.     Definir o tipo de orçamento, que pode ser um dos tipos inumerados anteriormente;

2.     Definir os elementos que vão gerir este orçamento, isto é, devem ser envolvidos todos os gestores, para que assim todos os departamentos da empresa sejam ouvidos e convidados ao envolvimento;

3.    

 Definir objetivos: antes da criação de orçamento, propriamente dito, é necessário haver um plano estratégico, onde estejam bem delineados os objetivos;

4.     

Projeção do orçamento: regra geral um orçamento é projetado para o ano seguinte, mas tudo depende da organização empresarial, sendo este o principal instrumento do orçamento, pois as demostrações contabilísticas são a linha condutora para que os gestores possam tomar decisões assertivas e fundamentadas;

5.     

Simulação de diversos cenários: para além do cenário base, referido na etapa anterior, é necessário prever e simular diferentes cenários, isto é, simular cenários com novas oportunidades e os riscos associados às mesmas. Nesta etapa é importante prever um cenário otimista e um mais pessimista, mas cada organização é livre de criar os cenários que achar necessários.

6.    

 Seguimento dos resultados: para que esta etapa seja bem-sucedida é necessário um correto acompanhamento dos resultados de uma empresa, um bom software ajuda neste sentido e permite facilitar a tomada de ações e os ajustes necessários sempre que há lugar a distorções daquilo que foi projetado no orçamento inicial. Por vezes é necessária uma ou mais revisões dos planos do orçamento.

Com isto, pode-se dizer que não há um modelo padrão ou único na gestão de um orçamento, isto é, cada organização e empresa devem construir o seu modelo ideal, tendo em conta fatores como: o segmento em que atua, o momento económico que está a passar, o seu setor, bem como a maturidade de toda a empresa, mercados, equipa de gestores, entre vários outros fatores.

Toda e qualquer gestão de um orçamento é um processo que pode e deve ser melhorado continuamente e resulta ainda na qualidade do planeamento e uma melhor performance da empresa.

Jorge GALVÃO
Diretor geral de operações AVEIRO
jorge.galvao@viseeon.pt